SINGLE POST

Podcast talk about everything

ABOUT

“Frívolos”: Governo dos EUA mantém contrato da Nasa com a SpaceX e dispensa processos da Blue Origin e Dynetics

O Escritório de Responsabilidade Governamental (GAO, na sigla em inglês) decidiu manter o contrato bilionário firmado entre a Nasa e a SpaceX, dispensando processos judiciais movidos pelas concorrentes Blue Origin e Dynetics – chamando-os, ainda, de “frívolos”.

Em abril de 2021, a Nasa assegurou à SpaceX um contrato acima de US$ 2 bilhões (R$ 10,46 bilhões) para a construção de um novo módulo de pouso lunar, como parte do chamado Projeto Artemis, criado pela agência espacial americana para levar o homem de volta à Lua. Entretanto, a seleção não seguiu os procedimentos normais de licitação, levando as empresas lideradas por Jeff Bezos e David King a contestarem o contrato na justiça.

Leia também

Depois de “golaço” com a Nasa, SpaceX fecha novos contratos para o Falcon 9Jeff Bezos oferece “desconto” bilionário para Nasa desistir da SpaceX e fechar com a Blue OriginBrasil assina o Acordo Artemis para exploração do espaço

Com órgão do governo dando o sinal verde, Nasa e SpaceX podem retomar projeto de construção de um novo módulo lunar: o que a agência usa hoje foi criado na década de 1970. Imagem: NASA/Divulgação

Isso porque, segundo os reclamantes, a Nasa deveria escolher mais de uma empresa para compor o projeto, escolhendo a melhor proposta para o fornecimento de seu equipamento mediante concorrência igualitária. Entretanto, segundo a defesa da agência espacial, a ação fora do padrão foi uma questão de timing e orçamento:

“Era o melhor interesse da Nasa que, com base no orçamento disponível, nós selecionássemos apenas uma [empresa]”, disse na época a chefe de voos espaciais de tripulação humana da Nasa, Kathy Lueders, que liderou a decisão em favor da SpaceX em abril.

Trocando em números: à Nasa, foi concedido um orçamento anual de aproximadamente US$ 10 bilhões (R$ 52,3 bilhões). O valor pedido pela Blue Origins foi de US$ 6 bilhões (R$ 31,41 bilhões) – mais da metade do orçamento da agência. Com base nisso, a Nasa determinou que o projeto da SpaceX não só era o mais competente, mas também o mais barato, marcando a empresa de Elon Musk como “opção A” do projeto.

Isso porque, pela lei, a Nasa deveria escolher uma segunda empresa como segunda opção, caso a primeira se mostrasse indisponível, o que não aconteceu. Mas ao paralisar o projeto por meio de protestos que ambicionavam forçar a Nasa a escolher novas empresas ou mesmo abrir nova concorrência, as empresas de Jeff Bezos e David King, pelo entendimento da Nasa e do GAO, poderiam atrasar o calendário projetado para início dos lançamentos.

Segundo trecho do comunicado emitido pelo GAO:

O comunicado continua, dizendo que julgou as argumentações defensivas da Nasa “razoáveis e consistentes com a aplicabilidade da lei de oferta e procura, regulamentação e os termos de anúncio”, terminando o comunicado dizendo que a Blue Origin e Dynetics não conseguiram estabelecer qualquer possibilidade de “preconceito competitivo que tenha vindo dessa discrepância na avaliação”.

O anúncio foi compartilhado pelo perfil do escritório no Twitter, e em seguida, o próprio Elon Musk, CEO da SpaceX, celebrou a decisão com um tuíte próprio.

GAO

— Elon Musk (@elonmusk) July 30, 2021

Não há informações sobre a possibilidade da Blue Origin ou Dynetics contestarem a decisão em alguma instância superior, mas a decisão é final no que tange à Nasa retomar o projeto e continuar seu desenvolvimento. O objetivo da agência é começar os lançamentos à Lua em meados de 2024.
Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post “Frívolos”: Governo dos EUA mantém contrato da Nasa com a SpaceX e dispensa processos da Blue Origin e Dynetics apareceu primeiro em Olhar Digital.

Starting a Business Instead of Going to College

Get Motivated By Working On Your Passion

I Struggle With Confidently Pricing My Services

Related Post